Contracepção

Muitas mulheres procuram métodos anticoncepcionais que ajudam a evitar uma gravidez indesejada, como a pílula anticoncepcional ou o implante no braço. Porém, não é apenas a camisinha, que é um desses meios para não ocorrer a gravidez.

Existem diversos e, antes de escolher e usar um desses métodos, é importante consultar um médico para decidir qual a melhor opção e qual é a melhor escolha e adequada às condições da mulher e do homem, como idade, uso de cigarro, doenças ou alergias, por exemplo.

O que é?

Os métodos de contracepção estão cada vez mais modernos e eficientes devido ao avanço da medicina. Hoje, podemos contar com uma série de técnicas que podem ser usadas de acordo com as preferências de cada mulher.

O Ginecologista é quem irá te ajudar a escolher o método mais indicado e com menos efeitos colaterais de acordo com suas características. Veja algumas opções de métodos contraceptivos:

DIU de cobre

O DIU (dispositivo intrauterino) de cobre é um tipo de método não-hormonal. Ele é um aparelho colocado dentro do útero para impedir a passagem do espermatozoide. Além disso, o cobre instalado nele também dificulta a implantação do óvulo na parede uterina.

Ele tem o formato de T, é pequeno, flexível e só pode ser colocado por profissionais habilitados.

Diafragma

Também é um método que não utiliza hormônios – é intitulado como um “método de barreira”. O diafragma é um material no formato de um anel, mas com o interior preenchido por uma borracha fina.

Ele é flexível e permite que a mulher o coloque sozinha – porém, uma visa ao ginecologista é essencial para saber qual tamanho de Diafragma se adaptará a você e formará uma barreira eficiente na passagem dos espermatozoides. Ele deve ser colocado cerca de 20 minutos antes da relação sexual e retirado após 12 horas.

Camisinha

A camisinha é o método contraceptivo mais usado entre os casais do mundo. A boa notícia é que além de prevenir a gravidez indesejada, a camisinha é o único método que evita a transmissão de DST’s (doenças sexualmente transmissíveis). Existem as versões femininas e masculinas.

Pílula anticoncepcional

É o segundo método contraceptivo mais usado – só perde para a camisinha. A maioria delas contém a combinação de estrogênio e progesterona (somente as pílulas progestínicas apresentam progestogênio em sua fórmula).

Algumas delas têm um ciclo de 21 dias (que podem ter a interrupção da cartela ou a continuação com pílulas placebo por sete dias) e outras são ininterruptas.

Mirena (Sistema intrauterino)

Tem a mesma estrutura que o DIU de cobre, mas com outras propriedades. Os hormônios presentes no Mirena fazem com que o espermatozoide não consiga encontrar o óvulo e, consequentemente, fecundá-lo. Ele precisa ser colocado por profissionais especializados e pode durar até cinco anos sem perder a sua eficácia.

Adesivo

O adesivo é um contraceptivo que faz o uso dos hormônios progestogênio e estrogênio. Ele é resistente e deve ser colado na pele e deixado por cerca de três semanas. Depois desse período, é retirado para que a mulher menstrue e depois de sete dias pode ser colocado de novo.

Anel vaginal

O anel vaginal é constituído por um material flexível e, diferente do DIU, ele é vazado. É composto por estrogênio e progestagênio e os libera em baixas doses. Essas doses são absorvidas pela mucosa vaginal e impedem a ovulação. Assim como o adesivo, deve ser retirado de três em três semanas para a menstruação.

Injeção anticoncepcional

A injeção anticoncepcional é uma combinação de progesterona e estrogênio e pode ser aplicada mensalmente ou uma vez a cada três meses. Ela deve ser aplicada por profissionais qualificados e tem alta taxa de eficácia. A desvantagem é que a fertilidade pode demorar um pouco para voltar depois que as doses não são mais aplicadas.

Implante hormonal

O implante hormonal é um “tubo” de cerca de cinco centímetros que contém uma combinação de hormônios elaborados individualmente depois de exames nos pacientes. Ele é colocado com uma seringa sob a pele e pode durar de seis meses a um ano.

O que é?

Os métodos de contracepção estão cada vez mais modernos e eficientes devido ao avanço da medicina. Hoje, podemos contar com uma série de técnicas que podem ser usadas de acordo com as preferências de cada mulher.

O Ginecologista é quem irá te ajudar a escolher o método mais indicado e com menos efeitos colaterais de acordo com suas características. Veja algumas opções de métodos contraceptivos:


0/5


(0 Reviews)

DIU de cobre

O DIU (dispositivo intrauterino) de cobre é um tipo de método não-hormonal. Ele é um aparelho colocado dentro do útero para impedir a passagem do espermatozoide. Além disso, o cobre instalado nele também dificulta a implantação do óvulo na parede uterina.

Ele tem o formato de T, é pequeno, flexível e só pode ser colocado por profissionais habilitados.


0/5


(0 Reviews)

Diafragma

Também é um método que não utiliza hormônios – é intitulado como um “método de barreira”. O diafragma é um material no formato de um anel, mas com o interior preenchido por uma borracha fina.

Ele é flexível e permite que a mulher o coloque sozinha – porém, uma visa ao ginecologista é essencial para saber qual tamanho de Diafragma se adaptará a você e formará uma barreira eficiente na passagem dos espermatozoides. Ele deve ser colocado cerca de 20 minutos antes da relação sexual e retirado após 12 horas.


0/5


(0 Reviews)

Camisinha

A camisinha é o método contraceptivo mais usado entre os casais do mundo. A boa notícia é que além de prevenir a gravidez indesejada, a camisinha é o único método que evita a transmissão de DST’s (doenças sexualmente transmissíveis). Existem as versões femininas e masculinas.


0/5


(0 Reviews)

Pílula anticoncepcional

É o segundo método contraceptivo mais usado – só perde para a camisinha. A maioria delas contém a combinação de estrogênio e progesterona (somente as pílulas progestínicas apresentam progestogênio em sua fórmula).

Algumas delas têm um ciclo de 21 dias (que podem ter a interrupção da cartela ou a continuação com pílulas placebo por sete dias) e outras são ininterruptas.


0/5


(0 Reviews)

Mirena (Sistema intrauterino)

Tem a mesma estrutura que o DIU de cobre, mas com outras propriedades. Os hormônios presentes no Mirena fazem com que o espermatozoide não consiga encontrar o óvulo e, consequentemente, fecundá-lo. Ele precisa ser colocado por profissionais especializados e pode durar até cinco anos sem perder a sua eficácia.


0/5


(0 Reviews)

Adesivo

O adesivo é um contraceptivo que faz o uso dos hormônios progestogênio e estrogênio. Ele é resistente e deve ser colado na pele e deixado por cerca de três semanas. Depois desse período, é retirado para que a mulher menstrue e depois de sete dias pode ser colocado de novo.


0/5


(0 Reviews)

Anel vaginal

O anel vaginal é constituído por um material flexível e, diferente do DIU, ele é vazado. É composto por estrogênio e progestagênio e os libera em baixas doses. Essas doses são absorvidas pela mucosa vaginal e impedem a ovulação. Assim como o adesivo, deve ser retirado de três em três semanas para a menstruação.


0/5


(0 Reviews)

Injeção anticoncepcional

A injeção anticoncepcional é uma combinação de progesterona e estrogênio e pode ser aplicada mensalmente ou uma vez a cada três meses. Ela deve ser aplicada por profissionais qualificados e tem alta taxa de eficácia. A desvantagem é que a fertilidade pode demorar um pouco para voltar depois que as doses não são mais aplicadas.


0/5


(0 Reviews)

Implante hormonal

O implante hormonal é um “tubo” de cerca de cinco centímetros que contém uma combinação de hormônios elaborados individualmente depois de exames nos pacientes. Ele é colocado com uma seringa sob a pele e pode durar de seis meses a um ano.


0/5


(0 Reviews)

FAQ

Qual é o método contraceptivo mais seguro?

Os contraceptivos hormonais são extremamente eficazes para impedir uma gravidez, mas não têm ação nenhuma na proteção contra as doenças sexualmente transmissíveis. A pílula anticoncepcional é junto com a camisinha masculina o método contraceptivo mais popular em todo o mundo.

Qual a função dos métodos anticoncepcionais?

São diferentes formas de se evitar (prevenir) uma gravidez, impedindo que a fecundação (o encontro do óvulo com os espermatozoides) aconteça.

Quais as chances de engravidar com o coito interrompido?

O coito interrompido consiste na retirada do pênis de dentro da vagina segundos antes da ejaculação. Esta técnica é geralmente usada por adolescentes que têm medo de engravidar, mas este não é um método seguro para evitar a gravidez indesejada, tendo 18% de chances de falha, o que é considerado bastante alto.

Quanto tempo para o anticoncepcional injetável fazer efeito?

O efeito anticoncepcional da injeção mensal dura 1 mês (30 dias).

Quais são os métodos cirúrgicos?

A esterilização é um método contraceptivo cirúrgico, definitivo. Ele pode ser realizado, na mulher, por meio da ligadura de trompas (laqueadura ou ligadura tubária) e, no homem, pela ligadura dos canais deferentes (vasectomia).

Como usar o método da tabelinha?

A tabelinha é um método que leva em consideração o dia provável da ovulação (liberação do óvulo pelo ovário), ou seja, o período mais fértil da mulher. Se seu ciclo menstrual for regular – de uns 28 dias -, você deve evitar transar no período da ovulação, ou seja, no 14º dia após o primeiro dia de sangramento.

Como posso entrar em contato e agendar uma consulta?

Você pode entrar em contato pelos telefones que se encontram no site ou pelo e-mail na aba “CONTATO”.

Agende uma
consulta

Agende agora sua consulta

0/5 (0 Reviews)