Ginecologia endócrina

A Ginecologia Endócrina é responsável por avaliar os sintomas e tratar doenças que acometem mulheres desde a adolescência até a senilidade.

Também acompanha as mulheres durante o seu período reprodutivo, chamado menacme, atentando para problemas como dificuldades de engravidar, anovulação, síndromes masculinizantes ou hiperandrogenismo, a qual engloba, dentre outras características, o aumento de pelos e oleosidade da pele e cabelos, e a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP).

A Ginecologia Endócrina é responsável por avaliar os sintomas e tratar doenças que acometem mulheres desde a adolescência até a senilidade.

Também acompanha as mulheres durante o seu período reprodutivo, chamado menacme, atentando para problemas como dificuldades de engravidar, anovulação, síndromes masculinizantes ou hiperandrogenismo, a qual engloba, dentre outras características, o aumento de pelos e oleosidade da pele e cabelos, e a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP).

O que é?

O que é?

A Ginecologia Endócrina é uma especialidade que trata de problemas nascidos da disfunção ovariana. Esses problemas são alterações da função reprodutiva e afetam diretamente a saúde da mulher.

Ela é responsável por estudar os aspectos fisiológicos do funcionamento do corpo feminino, além de desenvolver tratamentos que aliviam os sintomas e promovem uma vida normal às pacientes. Ou seja, é a especialidade que acompanha a mulher em todas as fases da vida, desde a puberdade até a fase climatério (que explicaremos a seguir), procurando sempre entender suas queixas e promover qualidade de vida e autoestima para quem necessita.

Fases da mulher

Puberdade: quando a mulher começa a evoluir, e as mamas surgem, os pêlos aparecem, a primeira menstruação acontece. E quando ocorrem distúrbios como puberdade precoce, puberdade retardada e distúrbios menstruais.

Menacme (período reprodutivo): É a fase ocorre alterações como anovulação – que não executam a processo da ovulação -, síndrome dos ovários policísticos (SOP), obesidade, distúrbios da sexualidade feminina, como vaginismo, dispareunia (dor na relação), diminuição da libido e anorgasmia, e também podem ser tratados por seu ginecologista endócrino.

Climatério: é o conjunto de sintomas que surgem antes e depois da menopausa, causados, principalmente, pelas variações hormonais típicas desse período – na qual aparecem as alterações como fogachos, ressecamento vaginal, osteopenia e osteoporose – e que podem ocasionar uma série de flutuações no ciclo menstrual. Nessa fase de transição, é comum que as menstruações fiquem mais espaçadas.

O que a Ginecologia Endócrina trata?

  • Síndromes masculinizantes (que promovem o nascimento de pelos, por exemplo);
  • Obesidade;
  • Doenças dos ovários (Síndrome do Ovário Policístico, malformações ovarianas, entre outras);
  • Diabetes;
  • Síndrome de Cushing (excesso de cortisol);
  • Hipertireoidismo;
  • Hipotireoidismo;
  • Dificuldades de engravidar;
  • Anovulação;
  • Hiperplasia adrenal congênita;
  • Hiperprolactinemia;
  • Acromegalia (excesso de hormônio de crescimento);
  • Hipopituitarismo (ausência ou redução da liberação dos hormônios da hipófise);
  • Entre outros.

Também é possível tratar a Disfunção Ovariana?

Sim. Pois, a disfunção dos ovários não é uma doença, mas uma síndrome acompanhada por um complexo de anormalidades do sistema reprodutivo feminino. O sinal principal que permite suspeitar que a disfunção de uma mulher é uma violação da função menstrual.

A síndrome pode se manifestar de maneiras diferentes: de pequenas dores e irregularidades do ciclo menstrual até hemorragia grave, cheia de amenorréia.

As consequências também podem ser diferentes. A principal consequência é a infertilidade, na qual uma mulher não pode engravidar. E isso não é surpreendente, porque no processo de perturbar a função dos ovários, todo o fundo hormonal da mulher é completamente alterado.

O ciclo menstrual se quebra, os hormônios que proporcionam maturação completa do ovo e a saída deixa de ser produzida. A ovulação não ocorre, o óvulo não pode ser fertilizado.

Tudo isso pode ser acompanhado de processos inflamatórios, a propagação da infecção não só através dos órgãos sexuais, mas também em todo o corpo, prejudicando suas propriedades protetoras. Para descobrir a causa disfunção ovariana e tratar o problema, é preciso um ginecologista endocrinologista.

Tratamento para a Síndrome do Ovário Policístico (SOP)

Atinge cerca de 10% das mulheres em idade reprodutiva e é considerada a causa mais frequente de infertilidade em mulheres com anovulação crônica, ou seja, que não ovulam adequadamente.

Trata-se de um distúrbio hormonal que provoca alteração dos níveis de hormônios masculinos (androgênios) no corpo da mulher. Essa alteração, em geral começa na adolescência e causa irregularidade na menstruação, alterações na pele e pode levar à formação de microcistos nos ovários.

O distúrbio geralmente se inicia na puberdade ou adolescência, quando os ovários apresentam grandes quantidades de folículos iniciais. Além da anovulação, a SOP também pode gerar o aumento dos hormônios masculinos nas mulheres (com o aparecimento de acne, aumento da oleosidade da pele e cabelo, nascimento de pelos e, por vezes, o ganho de peso).

Seu diagnóstico é feito por exame físico para detectar as alterações visíveis e exames laboratoriais e de imagem, como um ultrassom pélvico.

Fases da mulher

Puberdade: quando a mulher começa a evoluir, e as mamas surgem, os pêlos aparecem, a primeira menstruação acontece. E quando ocorrem distúrbios como puberdade precoce, puberdade retardada e distúrbios menstruais.

Menacme (período reprodutivo): É a fase ocorre alterações como anovulação – que não executam a processo da ovulação -, síndrome dos ovários policísticos (SOP), obesidade, distúrbios da sexualidade feminina, como vaginismo, dispareunia (dor na relação), diminuição da libido e anorgasmia, e também podem ser tratados por seu ginecologista endócrino.

Climatério: é o conjunto de sintomas que surgem antes e depois da menopausa, causados, principalmente, pelas variações hormonais típicas desse período – na qual aparecem as alterações como fogachos, ressecamento vaginal, osteopenia e osteoporose – e que podem ocasionar uma série de flutuações no ciclo menstrual. Nessa fase de transição, é comum que as menstruações fiquem mais espaçadas.


0/5


(0 Reviews)

O que a Ginecologia Endócrina trata?

  • Síndromes masculinizantes (que promovem o nascimento de pelos, por exemplo);
  • Obesidade;
  • Doenças dos ovários (Síndrome do Ovário Policístico, malformações ovarianas, entre outras);
  • Diabetes;
  • Síndrome de Cushing (excesso de cortisol);
  • Hipertireoidismo;
  • Hipotireoidismo;
  • Dificuldades de engravidar;
  • Anovulação;
  • Hiperplasia adrenal congênita;
  • Hiperprolactinemia;
  • Acromegalia (excesso de hormônio de crescimento);
  • Hipopituitarismo (ausência ou redução da liberação dos hormônios da hipófise);
  • Entre outros.

0/5


(0 Reviews)

Também é possível tratar a Disfunção Ovariana?

Sim. Pois, a disfunção dos ovários não é uma doença, mas uma síndrome acompanhada por um complexo de anormalidades do sistema reprodutivo feminino. O sinal principal que permite suspeitar que a disfunção de uma mulher é uma violação da função menstrual.

A síndrome pode se manifestar de maneiras diferentes: de pequenas dores e irregularidades do ciclo menstrual até hemorragia grave, cheia de amenorréia.

As consequências também podem ser diferentes. A principal consequência é a infertilidade, na qual uma mulher não pode engravidar. E isso não é surpreendente, porque no processo de perturbar a função dos ovários, todo o fundo hormonal da mulher é completamente alterado.

O ciclo menstrual se quebra, os hormônios que proporcionam maturação completa do ovo e a saída deixa de ser produzida. A ovulação não ocorre, o óvulo não pode ser fertilizado.

Tudo isso pode ser acompanhado de processos inflamatórios, a propagação da infecção não só através dos órgãos sexuais, mas também em todo o corpo, prejudicando suas propriedades protetoras. Para descobrir a causa disfunção ovariana e tratar o problema, é preciso um ginecologista endocrinologista.


0/5


(0 Reviews)

Tratamento para a Síndrome do Ovário Policístico (SOP)

Atinge cerca de 10% das mulheres em idade reprodutiva e é considerada a causa mais frequente de infertilidade em mulheres com anovulação crônica, ou seja, que não ovulam adequadamente.

Trata-se de um distúrbio hormonal que provoca alteração dos níveis de hormônios masculinos (androgênios) no corpo da mulher. Essa alteração, em geral começa na adolescência e causa irregularidade na menstruação, alterações na pele e pode levar à formação de microcistos nos ovários.

O distúrbio geralmente se inicia na puberdade ou adolescência, quando os ovários apresentam grandes quantidades de folículos iniciais. Além da anovulação, a SOP também pode gerar o aumento dos hormônios masculinos nas mulheres (com o aparecimento de acne, aumento da oleosidade da pele e cabelo, nascimento de pelos e, por vezes, o ganho de peso).

Seu diagnóstico é feito por exame físico para detectar as alterações visíveis e exames laboratoriais e de imagem, como um ultrassom pélvico.


0/5


(0 Reviews)

A importância da Ginecologia Endócrina

O acompanhamento ginecológico é indicado por toda a vida da mulher. Em alguns casos, porém, ele é mais necessário. Como vimos, sempre que existir irregularidade menstrual, é o gineco endócrino quem pode detectar os motivos e, se necessário, tratá-los.

Em casos onde a mulher está com dificuldade de engravidar, essa especialidade é a mais indicada. O profissional irá avaliar se há a necessidade de reposição hormonal e ajudará nessa etapa.

Outros casos onde o gineco endócrino é indicado como melhor opção para tratamento da mulher são os de obesidade, diabetes e hipertensão. Essas doenças têm uma grande incidência em mulheres e podem causar disfunção ovariana – que podem ter graves consequências: tumores no hipotálamo, na tireoide, no pâncreas, entre outros.

Portanto, sempre que houver qualquer dúvida sobre o seu ciclo menstrual ou sintomas que indicam algo relacionado a ele, é hora de procurar um gineco endócrino.


0/5


(0 Reviews)

A importância da Ginecologia Endócrina

O acompanhamento ginecológico é indicado por toda a vida da mulher. Em alguns casos, porém, ele é mais necessário. Como vimos, sempre que existir irregularidade menstrual, é o gineco endócrino quem pode detectar os motivos e, se necessário, tratá-los.

Em casos onde a mulher está com dificuldade de engravidar, essa especialidade é a mais indicada. O profissional irá avaliar se há a necessidade de reposição hormonal e ajudará nessa etapa.

Outros casos onde o gineco endócrino é indicado como melhor opção para tratamento da mulher são os de obesidade, diabetes e hipertensão. Essas doenças têm uma grande incidência em mulheres e podem causar disfunção ovariana – que podem ter graves consequências: tumores no hipotálamo, na tireoide, no pâncreas, entre outros.

Portanto, sempre que houver qualquer dúvida sobre o seu ciclo menstrual ou sintomas que indicam algo relacionado a ele, é hora de procurar um gineco endócrino.

FAQ

O que é a ginecologia endócrina?

É a especialidade médica que trata de todos os distúrbios hormonais que afetam as mulheres, e em todas a fases da vida, desde a puberdade até a menopausa.

Existe um remédio para tratar a SOP (Síndrome dos Ovários Policísticos)?

A SOP é uma doença multifatorial, portanto para trata-la não existe um remédio único, e sim uma junção de medidas, desde uma dieta adequada, atividade física e mudança de estilo de vida, que associadas às medicações, vão contribuir para uma melhor reposta do organismo.

Tenho SOP, eu posso engravidar?

A Síndrome dos Ovários Policísticos dificulta muito uma gravidez natural porque gera ciclos anovulatórios. Mas um acompanhamento ginecológico vai te ajudar a corrigir os fatores e conseguir a tão sonhada gravidez.

A obesidade pode gerar o SOP?

A obesidade está presente na SOP em até 80% dos casos, caracterizada por uma obesidade central ou seja, a relação entre a circunferência da cintura e a circunferência do quadril é maior que 0,8 e circunferência da cintura maior a 88 cm.

Como é encontrado o diagnóstico do SOP?

O diagnóstico da SOP é clínico, ultrassonográfico e laboratorial onde as alterações hormonais são identificadas. Muitas mulheres normais sem a SOP, podem ter ovários com múltiplos cistos ao ultrassom, porém sem apresentar os comemorativos acima, não caracterizando assim a doença acima.

Qual é o principal objetivo desse procedimento?

O objetivo do tratamento é corrigir a desordem hormonal, restabelecendo a regularidade menstrual, melhora da pele, fertilidade e principalmente diminuindo o risco contra doenças estrógeno-dependentes.

Além do uso de medicações específicas, entre elas os contraceptivos hormonais orais e medicação para diminuir a resistência periférica à insulina, a perda de peso é fundamental para o sucesso do tratamento. Quanto a fertilidade, medicações para estimular a ovulação podem ser necessárias.

Como posso entrar em contato e agendar uma consulta?

Você pode entrar em contato pelos telefones que se encontram no site ou pelo e-mail na aba “CONTATO”.

Agende uma
consulta

Agende agora sua consulta

0/5 (0 Reviews)