BENEFÍCIOS DA SOROTERAPIA
PARA A MEDICINA INTEGRATIVA ESPORTIVA

Com o objetivo de potencializar tratamentos clínicos e obter resultados mais rápidos e conclusivos, muitos pacientes têm procurado terapias alternativas. O procedimento da terapia endovenosa, também conhecido como soroterapia, tem sido cada vez mais utilizado pelos médicos para tratar enfermidades que não apresentam resultados tão efetivos quando o tratamento é feito via oral, ou mesmo para reposições de algumas substâncias que necessitem de intervenção imediata e de concentrações elevadas.

A soroterapia consiste na administração de substâncias terapêuticas variadas por via endovenosa, com 100% dos componentes correndo pela corrente sanguínea dos pacientes, repondo vitaminas, oligoelementos, sais minerais, aminoácidos, anti-homotóxicos, antioxidantes e até medicações alopáticas. Dessa forma, o resultado é mais eficaz e rápido, diferentemente do tratamento via oral.

 

A duração do tratamento consiste em restabelecer as funções normais do organismo num curto espaço de tempo. A melhora dos sintomas pode ser vista logo na primeira aplicação, dependendo do caso, ou levar um certo tempo, como observada, entre 14 dias ou até 1 mês após o início do tratamento.

De acordo com a Dra. Nathalia Duarte, nutróloga do Instituto Lerner, a técnica é indicada para pacientes que não conseguem ingerir um grande volume de medicações – sendo, às vezes, intoleráveis as concentrações para eles – e para aqueles que precisam da reposição de maneira ágil. “Entre os benefícios da soroterapia é possível tratar anemias, potencializar emagrecimento e hipertrofia, repor minerais para quem pratica esportes de alta intensidade e todos aqueles que necessitem, além de tratamentos de enfermidades que não têm resultado quando feito via oral”, explica a especialista.

 

O diagnóstico é uma das principais etapas para que o tratamento tenha um resultado eficaz. A avaliação diagnóstica consiste na consulta com uma anamnese minuciosa, um exame físico geral e específico, exames laboratoriais e de imagem.

 

O custo da terapia endovenosa depende do diagnóstico, pois é preciso sempre corrigir os fatores indutores das doenças, os abalos orgânicos e associar ao tratamento de base

 

Dra. Nathalia Duarte, Nutróloga do Instituto Lerner
CRM: 177721

Publicado no Blog Gazeta Esportiva

Veja o post original