CICLO MENSTRUAL PODE SOFRER MUDANÇAS POR FATORES EMOCIONAIS. ENTENDA!

Você já ter ouvido de algum médico que o seu psicológico é capaz de influenciar diversas funções do seu corpo. Semana de provas chegando? Aquela dor de cabeça já aparece. Nervosa para um encontro? A barriga já fica abalada. E por aí vai. Não é a toa que suas emoções também conseguem provocar mudanças no seu ciclo menstrual. Já parou para observar? Conversamos com a ginecologista Andréia Gozzi sobre o assunto. Entenda essa relação!

 

O ciclo menstrual pode sofrer mudanças

 

Assim como explica a médica, o ciclo menstrual pode ser influenciado e alterado por diversos fatores. Alguns deles são estresse, emagrecimento acentuado, atividade física em excesso (mulheres atletas), uso de medicações, cistos de ovários, perimenopausa, patologias uterinas e troca de anticoncepcional. Dessa maneira, conhecer o próprio corpo é um essencial.

 

A mulher que entende bem seu ciclo menstrual, logo percebe quando há alguma alteração. “Deve-se pensar se há algum fator novo que possa estar interferindo e tentar corrigi-lo”, orienta a profissional. A recomendação é procurar marcar uma consulta para investigar, caso essas modificações permaneçam depois de dois ciclos.

 

Como os fatores emocionais podem afetar o ciclo menstrual?

 

A rotina está corrida, as tarefas estão acumulando e sua cabeça está a mil. Por conta disso, é comum perceber diversas mudanças no corpo, tudo influenciado pelo seu emocional. “A condição psicológica pode ter um impacto muito grande sobre o organismo”, alerta a Dra. Andréia. Um estresse exacerbado, crise de ansiedade ou quadros de depressão podem ser destacados como exemplos que afetam o ciclo menstrual. “Eles podem afetar a liberação do principal hormônio que regula o ciclo menstrual, o GnRH, acarretando uma desordem hormonal que pode gerar um atraso ou a irregularidade menstrual”, esclarece.

 

Fique de olho no tratamento adequado

 

Segundo a ginecologista, o primeiro passo é a paciente procurar ajuda do profissional para acompanhar o desequilíbrio emocional. Trabalhando nessa área e organizando as emoções, é possível que o ciclo hormonal regularize sozinho, como acontece em muitos casos. “Quando não ocorre, deve procurar o seu ginecologista para uma investigação mais detalhada”, indica a especialista.

 

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Dra. Andréia Gozzi, ginecologista do Instituto Lerner
CRM: 153790

Publicado no Blog Só Delas

Veja o post original