ENTENDA A DIFERENÇA ENTRE A CÓLICA PRIMÁRIA E A CÓLICA SECUNDÁRIA!

A cólica é uma conhecida da maioria das mulheres durante o período menstrual. Para algumas ela vem mais forte, para outras, de forma mais leve, e pode aparecer antes ou durante a menstruação. O que pouca gente sabe é que existem dois tipos de cólica, com diferentes origens: a primária e a secundária. Já ouviu falar nesse assunto? O Só Delas conversou com a ginecologista Andreia Gozzi, que esclareceu a diferença entre elas. Saiba mais e confira em qual delas o seu caso se encaixa!

 

Cólica primária e cólica secundária: entenda cada uma delas

Aquelas familiares dorzinhas que surgem na parte abdominal são o que conhecemos como cólicas.Dependendo da intensidade, ela pode até mesmo irradiar para outras partes do corpo… O tipo mais comum é aquela chamada de cólica primária, que é um fenômeno natural. “É a que a maioria das mulheres têm, que se dá pela contração dos músculos da parede do útero pela liberação de prostaglandinas, que são fatores inflamatórios, na circulação sanguínea”, explica a ginecologista. Já a cólica secundária, por sua vez, tem a origem decorrente de alguma patologia uterina. Entre as causas mais comuns estão os miomas, a adenomiose e a endometriose.

 

Como diferenciar os sintomas de cada uma?

A diferença entre os dois tipos de cólica pode ser um pouco sutil, mas é importante identificá-la para saber o que está acontecendo no seu corpo. A cólica primária normalmente é mais leve e passa rapidamente com o uso de um analgésico comum ou anti-inflamatório. “A mulher normalmente já tem este histórico e sabe até quais os dias do ciclo que ela mais sente cólica”, afirma Andreia.

 

Já a cólica secundária tem como característica começar a partir de uma fase específica e normalmente mais tardia da vida da mulher. Mesmo que ela aconteça durante a adolescência, se destaca por causar um desconforto maior. “Ela é muito mais forte e com mais resistência aos analgésicos comuns”, esclarece a profissional.

 

Quais são os tratamentos para cada tipo de cólica?

“As cólicas podem ser tratadas com analgésicos, antiespasmódicos e anti-inflamatórios”, recomenda a ginecologista. De acordo com o tipo de cólica e a sua resistência, podem ser usados dos mais simples aos mais potentes. Dependendo de qual for a causa, no entanto, recomenda-se realizar um tratamento específico para o quadro em questão. Por isso é importante sempre conversar com seu ginecologista, ele vai saber identificar qual a melhor indicação para o seu caso!

 

Dra. Andréia Gozzi, ginecologista do Instituto Lerner
CRM: 153790

Publicado no Blog Só Delas

Veja o post original