ESCAPES DURANTE O USO DE ANTICONCEPCIONAL CONTÍNUO SÃO NORMAIS?

Atualmente, existem diversas opções de métodos anticoncepcionais, o que é uma grande vantagem para mulheres, pois podem escolher um que melhor se adaptam. Entre os mais populares está a pílula anticoncepcional, que também apresenta vários tipos. O de uso contínuo é a escolhida por muitas garotas, que são tomadas diariamente, sem aquele tempinho de pausa, fazendo com que a menstruação não desça. Entretanto, apresentar escapes durante o uso dela é normal? A ginecologista Andréia Gozzi trouxe explicações sobre isso.

 

A pílula de uso contínuo provoca mudanças no corpo?

 

As mulheres que são indicadas a usar a pílula de uso contínuo não possuem contraindicações de anticoncepcionais hormonais, podendo então fazer o esquema de continuidade. Segundo a especialista, a mudança que acontece, sendo a única diferença, é que a paciente não irá menstruar. “É um esquema muito benéfico para mulheres atletas, por exemplo, em que o período menstrual pode atrapalhar o seu desempenho, ou para aquelas mulheres que sofrem muito com as cólicas e sangramento aumentado”, esclarece ela.

 

É importante explicar também que, o sangue da menstruação não fica “preso” no organismo. Assim como destaca a médica, ele, na verdade, nem é produzido porque não acontece uma queda hormonal, que ocorre na pausa da pílula.

 

É normal acontecer escapes durante a pílula de uso contínuo?

 

De acordo com a profissional, a presença de escape, de poucos dias, ocorre normalmente no meio da cartela. Esse episódio de sangramento discreto não apresenta problema algum. “É muito comum no início do uso de uma nova pílula, e a tendência é melhorar com o tempo”, comenta Dra. Andréia. A ginecologista explica que, na maioria das vezes, o escape acontece porque o endométrio fica mais finos e os vasos sanguíneos mais expostos. Casos como este podem ser observados quando a pílula anticoncepcional é de baixa dosagem, por exemplo.

 

Existe uma solução para os escapes?

 

Para a maioria dos quadros, os escapes tem a tendência de melhorar com o passar do tempo. “Mas mulheres que têm escape com frequência, orientamos fazer a pausa a cada 3 cartelas por exemplo, o que ajuda a diminuir os escapes”, orienta a médica. Por outro lado, já as pacientes que apresentam um escape que não cesse, ou evolua para um sangramento vermelho vivo, a indicação da profissional é fazer uma pausa do uso da pílula imediatamente. Após os 4 a 7 dias sem tomá-la, a mulher pode iniciar uma nova cartela. Vale destacar que a eficácia do método não é comprometida.

 

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Dra. Andréia Gozzi, ginecologista do Instituto Lerner
CRM: 153790

Publicado no Blog Só Delas

Veja o post original