VOCÊ CONHECE TUDO SOBRE O DIU?
TE CONTAMOS 5 COISAS SOBRE ESSE MÉTODO CONTRACEPTIVO

Na hora de escolher sobre o melhor método anticoncepcional, é muito importante que se tenha uma consulta com sua ginecologista para que, juntas, vocês cheguem na melhor opção para seu caso. Contudo, muitas mulheres têm optado cada vez mais pelo DIU. “Ele é inserido dentro do útero da paciente pelo médico ginecologista”, define a Dra. Andréia Gozzi. O DIU se apresentar em três tipos: Mirena, DIU de cobre e DIU de cobre+prata. Pensando nisso, o Só Delas te conta agora mais sobre esse método e destacou 5 vantagens.

 

O DIU pode ser usado por qualquer mulher?

De acordo com as explicações da profissional, o DIU é inserido pela via vaginal da mulher. Por isso, ela não pode ser mais virgem para fazer uso desse método. Além disso, para tomar a decisão e optar por ele, alguns outros pontos precisam ser avaliados antes. Dra. Andréia destaca que o padrão de sangramento, tamanho uterino e número de parceiros são alguns exemplos. “Mas, de uma maneira geral, a maioria das mulheres podem sim fazer uso, até mesmo as que nunca engravidaram”, completa ela.

 

Você conhece as vantagens do DIU?

O DIU é um método contraceptivo que vem sendo uma opção para diversas mulheres. Em especial, é possível destacar as pacientes que esquecem de tomar a pílula ou acabam passando mal por conta dela. E então, as vantagens são inúmeras do método. A ginecologista ressaltou cinco vantagens do DIU: custo-benefício; longa duração; alta eficácia contraceptiva; efeito não depende da própria paciente; e também pode ser usado no tratamentos de algumas patologias uterinas, como a endometriose, com medicamentos em conjunto ao uso.

 

DIU aumenta o fluxo menstrual?

Segundo a Dra. Andréia, o DIU de cobre e o de cobre+prata podem aumentar um pouco o fluxo menstrual. Além disso, esses dois tipos podem causar sangramento no meio do ciclo, conhecido como spotting. Por isso, normalmente não é indicado para pacientes que já apresentam um fluxo aumentado. “Cada caso deve ser individualizado para pesar o benefício do método”, explica ela. Enquanto isso, o DIU com hormônio pode, na maioria dos casos, ser capaz de diminuir ou até mesmo cessar o sangramento.

 

Fique atenta ao tempo de troca

Diferentemente da pílula anticoncepcional, o DIU é um método que não depende da atenção diária da paciente, já que está dentro do seu corpo atuando. Mas, é preciso fazer a troca do dispositivo de tempos em tempos. “A maioria dos DIU´s com cobre tem duração de 10 anos, mas existem alguns de tamanhos menores com duração de 5 anos”, orienta a profissional. O DIU medicado, conhecido como Mirena, é um dos que precisam ser trocados no período de cinco anos. Por outro lado, há casos de pacientes que apresentam rejeição do organismo a esse método e, então, a troca precisa ser feita antes do tempo.

 

Dra. Andréia Gozzi, ginecologista do Instituto Lerner
CRM: 153790

Publicado no Blog Só Delas

Veja o post original