Reposição hormonal

Em um determinado período da vida das mulheres e dos homens ocorrem diversos sintomas desconfortáveis. Um deles, é a menopausa (para a mulher) e para o homem, é conhecido como a andropausa, que representa a queda de taxas dos hormônios sexuais.

Na menopausa, há o término dos ciclos menstruais e ovulatórios em mulheres entre os 45 e 55 anos, enquanto na andropausa, há diminuição da produção de testosterona em homens após os 50 anos.

Devido a isso, a medicina criou um procedimento: a reposição hormonal, que tem como objetivo tirar o mal estar, perda cognitiva (algumas mulheres queixam-se de perda de memória, piora da depressão e ansiedade) e perda de massa óssea. E, no caso dos homens, resulta na melhora da disposição e no aumento da libido.

Em um determinado período da vida das mulheres e dos homens ocorrem diversos sintomas desconfortáveis. Um deles, é a menopausa (para a mulher) e para o homem, é conhecido como a andropausa, que representa a queda de taxas dos hormônios sexuais.

Na menopausa, há o término dos ciclos menstruais e ovulatórios em mulheres entre os 45 e 55 anos, enquanto na andropausa, há diminuição da produção de testosterona em homens após os 50 anos.

Devido a isso, a medicina criou um procedimento: a reposição hormonal, que tem como objetivo tirar o mal estar, perda cognitiva (algumas mulheres queixam-se de perda de memória, piora da depressão e ansiedade) e perda de massa óssea. E, no caso dos homens, resulta na melhora da disposição e no aumento da libido.

O que é?

O que é?

A Reposição Hormonal é um tipo de tratamento que permite aliviar os sintomas típicos da menopausa, como ondas de calor, cansaço excessivo, secura vaginal ou queda de cabelos, por exemplo.

Como é realizada?

Para isso, este tipo de terapia utiliza medicamentos que ajudam a repor os níveis de estrogênio e progesterona, que estão diminuídos na menopausa, já que os ovários deixam de os produzir quando a mulher entra no climatério e na menopausa por volta dos 50 anos de idade.

Hormônios

Hormônios como estrogênio e progesterona são capazes de “regular” a libido, o tecido gorduroso do corpo, a densidade dos ossos e o funcionamento do coração. O problema é que a produção de estrogênio reduz cerca de 30% aos 50 anos na mulher. Já a progesterona tem uma queda de 75% entre os 35 e 50 anos – depois da menopausa ela não é mais produzida. Por isso, com a reposição hormonal, sua ingestão pode ser feita com dosagens baixas.

Essa reposição pode ser feita por meio de comprimidos ou através da pele, com adesivos, cremes ou gel. A opção por via transdérmica pode ser benéfica por não ter que passar pelo fígado, já que vai diretamente para a corrente sanguínea.

Alguns outros hormônios que podem ser repostos são: pregnenolona (que é responsável por regular a memória), testosterona (cuida da potência sexual, tecido gorduroso, musculatura e coração), DHEA (balanceia o estresse), T3 e T4 (controlam o metabolismo, peso, intestino, unhas e cabelos), melatonina (controla a qualidade do sono), entre outros.

Reposição Hormonal

Mesmo com a reposição hormonal, é importante que a mulher mantenha uma alimentação saudável no climatério. Evitar comidas gordurosas e frituras é uma ótima opção para manter a saúde. É indicado também que o consumo de frutas e fibras aumente.

Claro que cada caso deve ser avaliado individualmente sobre as eventuais recomendações e contraindicações.

Como é realizada?

Para isso, este tipo de terapia utiliza medicamentos que ajudam a repor os níveis de estrogênio e progesterona, que estão diminuídos na menopausa, já que os ovários deixam de os produzir quando a mulher entra no climatério e na menopausa por volta dos 50 anos de idade.


0/5


(0 Reviews)

Hormônios

Hormônios como estrogênio e progesterona são capazes de “regular” a libido, o tecido gorduroso do corpo, a densidade dos ossos e o funcionamento do coração. O problema é que a produção de estrogênio reduz cerca de 30% aos 50 anos na mulher. Já a progesterona tem uma queda de 75% entre os 35 e 50 anos – depois da menopausa ela não é mais produzida. Por isso, com a reposição hormonal, sua ingestão pode ser feita com dosagens baixas.

Essa reposição pode ser feita por meio de comprimidos ou através da pele, com adesivos, cremes ou gel. A opção por via transdérmica pode ser benéfica por não ter que passar pelo fígado, já que vai diretamente para a corrente sanguínea.

Alguns outros hormônios que podem ser repostos são: pregnenolona (que é responsável por regular a memória), testosterona (cuida da potência sexual, tecido gorduroso, musculatura e coração), DHEA (balanceia o estresse), T3 e T4 (controlam o metabolismo, peso, intestino, unhas e cabelos), melatonina (controla a qualidade do sono), entre outros.


0/5


(0 Reviews)

Reposição Hormonal

Mesmo com a reposição hormonal, é importante que a mulher mantenha uma alimentação saudável no climatério. Evitar comidas gordurosas e frituras é uma ótima opção para manter a saúde. É indicado também que o consumo de frutas e fibras aumente.

Claro que cada caso deve ser avaliado individualmente sobre as eventuais recomendações e contraindicações.


0/5


(0 Reviews)

Indicações e Contraindicações

A terapia de reposição hormonal está contraindicada em algumas situações, que incluem:

  • Câncer de mama;
  • Câncer de endométrio;
  • Porfiria;
  • Lúpus eritematoso sistêmico;
  • Ter tido um infarto ou AVC – acidente vascular cerebral;
  • Trombose venosa profunda;
  • Distúrbios da coagulação sanguínea;
  • Sangramento genital de causa desconhecida.

Este procedimento é indicado e acompanhado pelo ginecologista, pois há necessidade de um acompanhamento regular e as doses devem ser ajustadas com o tempo.

Além disso, a reposição hormonal também pode aumentar os riscos de doenças cardíacas, devendo ser feita apenas quando necessária, em baixas doses e por um curto período de tempo.

 

Resultados

O tratamento não irá interromper o processo, mas aliviar seus sintomas. Veja alguns dos sintomas que a reposição hormonal pode aliviar:

  • Ginecologia;
  • Menstruação irregular;
  • Ganho de peso;
  • Oscilações de humor;
  • Ondas de calor;
  • Pele seca;
  • Dificuldade de concentração;
  • Eventuais perdas de memória;
  • Falta de libido;
  • Secura e atrofia vaginal;
  • Dores nas articulações;
  • Osteoporose;
  • Entre outros.

0/5


(0 Reviews)

Indicações e Contraindicações

A terapia de reposição hormonal está contraindicada em algumas situações, que incluem:

  • Câncer de mama;
  • Câncer de endométrio;
  • Porfiria;
  • Lúpus eritematoso sistêmico;
  • Ter tido um infarto ou AVC – acidente vascular cerebral;
  • Trombose venosa profunda;
  • Distúrbios da coagulação sanguínea;
  • Sangramento genital de causa desconhecida.

Este procedimento é indicado e acompanhado pelo ginecologista, pois há necessidade de um acompanhamento regular e as doses devem ser ajustadas com o tempo.

Além disso, a reposição hormonal também pode aumentar os riscos de doenças cardíacas, devendo ser feita apenas quando necessária, em baixas doses e por um curto período de tempo.

Resultados

O tratamento não irá interromper o processo, mas aliviar seus sintomas. Veja alguns dos sintomas que a reposição hormonal pode aliviar:

  • Ginecologia;
  • Menstruação irregular;
  • Ganho de peso;
  • Oscilações de humor;
  • Ondas de calor;
  • Pele seca;
  • Dificuldade de concentração;
  • Eventuais perdas de memória;
  • Falta de libido;
  • Secura e atrofia vaginal;
  • Dores nas articulações;
  • Osteoporose;
  • Entre outros.

FAQ

A reposição hormonal auxilia no tratamento da osteoporose?

Sim, pois a reposição estrogênica previne a perda de massa óssea que pode aumentar em até 30% após a menopausa, diminuindo risco de fraturas.

A reposição hormonal é benéfica em caso de doenças cardiovasculares?

Sim, a TRH inibe a formação da placa de ateroma ao reduzir os níveis de colesterol total e da fração LDL, conhecido como o “colesterol ruim”.

Toda mulher na menopausa precisa fazer terapia de reposição hormonal?

Não. Para cada mulher é recomendado um tipo de medicamento específico, em cada caso.

Sintomas como desconforto, ardor e infecções vaginais melhoram com o TRH?

Verdade. Esses sintomas costumam ser amenizados a partir da terapia hormonal indicada pelo ginecologista

A terapia hormonal aumenta as chances de adquirir um câncer de endométrio?

Depende. A mulher que tem útero e faz reposição hormonal com estrógeno sem associar progesterona tem risco muito aumentado de desenvolver esse tipo de câncer.

A Reposição Hormonal pode ser feita de quanto em quanto tempo?

O tratamento pode ser feito na forma de comprimidos ou adesivo para a pele e a duração do tratamento pode variar entre 2 a 5 anos, dependendo de mulher para mulher.

Para informações de agenda, com quem posso entrar em contato?

Você pode entrar em contato pelos telefones que se encontram no site ou pelo e-mail na aba “CONTATO”.

Agende uma
consulta

Agende agora sua consulta

0/5 (0 Reviews)